Olhar de gigante em #acomidacomoelae

Como seria a visão de um gigante nos observando de cima, como formigas nos alimentando nas mais diversas situações e lugares? A partir dessa ideia Juliana Grazini, nesta primeira edição do Projeto Fotossensível, nos abriu a possibilidade de pensarmos sobre os alimentos, nutrição, saúde, costumes e crenças alimentares. Foi uma conversa rica, acompanhada pelas belas imagens produzidas por Juliana. Gratidão imensa pela presença de todos! Acompanhem as atividades do projeto @fotossensivel_sp


PROJETO FOTOSSENSÍVEL #01

Este é o primeiro encontro do Projeto Fotossensível que acontecerá na Empório Fotográfico no dia 9 de novembro.

Meu desejo é oferecer um espaço acolhedor e inspirador culminando em encontros para a produção, reflexão e compartilhamento de experiências, nos mais variados sentidos,  sobre o universo do alimento e da alimentação tendo como ponto de partida as expressões artísticas. Estou super feliz por abrir nossa casa para receber os queridos que desejam compartilhar suas experiências e saberes.

Quem abre essa primeira edição é Juliana Grazini, parceira da Empório Fotográfico, meu estúdio especializado em gastronomia, e local onde acontece o curso “Acomidapontocom” um dos produtos oferecidos pela  Verakis, uma Fundação Francesa que trabalha com desenvolvimento profissional e promove a divulgação e o debate de informações nas áreas de alimentos, alimentação e nutrição, coordenado por Juliana.


O novo projeto que Juliana apresentará para nós nesta oportunidade foi intitulado “A comida como ela é”, fortalecido nas redes sociais pela hashtag #acomidacomoelae e em francês #lanourriturecomoelae, já que Juliana, atualmente, vive na França.

“O projeto “A comida como ela é” tem como ambição reaproximar os seres humanos do comer e da comida como ela é no cotidiano, na nossa mesa, com amigos, sem julgamentos de valor, sem tabelas nutricionais, sem esnobismo e críticas. É também um manifesto pelo comer e pela comida, pois a rigidez alimentar e a forma que consumimos tem atrapalhado nossa relação com o comer.

Nenhum alimento faz bem ou mal, todo e qualquer tipo de alimento deve fazer parte de um equilíbrio diário, mensal ou de uma vida, e todo equilíbrio é feito de desequilíbrios, de excessos e de escassez. Podemos sempre nos extasiar frente a comida; tentar sempre ver a beleza e a poesia à mesa ou em qualquer outro lugar que se coma.

“A comida como ela é” é também um projeto de mediação e popularização técnico científica da Verakis, por meio da fotografia, que tem como objetivo abordar e evidenciar o lado  espontâneo, real, cotidiano, belo e poético da alimentação por meio da disseminação da hashtag #acomidacomoelae e #lanourriturecomoelae pelas redes sociais e “desafios” lançados ao grande público.” descreve Juliana Grazini.

As imagens deliciosamente poéticas apresentadas no evento foram produzidas com celular pela Dra. Juliana Grazini, Nutricionista, Mestre em ciências aplicadas em pediatria e Doutora em informação e comunicação/jornalismo.  Juliana há 20 anos vive na França, onde desenvolve e coordena projetos de prevenção e saúde e popularização das ciências dos alimentos, alimentação e nutrição. Idealizou, criou, dirige e coordena 7 cursos de pós graduação e especialização em parceria com universidades europeias; é membro do Grupo de Estudos e Ações de Informação e Educação do Consumidor da FFAS (Fundo Francês para Alimentação e Saúde).

Todos convidados!


FICHACNICA:

ONDE

Empório Fotográfico

Rua Gaspar Fernandes, 537

Vila Monumento

QUANDO

09 / 11 / 2018

PROGRAMAÇÃO

19:00 hs  abertura

20:00 hs projeção de imagens projeto #acomidacomoelae

20:30 hs bate papo com Dra. Juliana Grazini sobre projeto

21:45 hs encerramento

PARA PARTICIPAR

1 kg de alimento não perecível, não obrigatório

inscreva-se aqui: verakisbr@verakis.com



Hoje é dia de conversa na Zipper Galeria

Acontece hoje, a partir das 15 horas, na Zipper Galeria.

André Penteado fala sobre sua primeira exposição na Zipper, intitulada “Missão Francesa” e na sequência eu e Eder Chiodetto falaremos sobre “De onde emergem os nervos” minha segunda exposição na Zipper, agora individual no projeto ZIPUP.  Uma grande oportunidade para o meu trabalho. Todos convidados!!


“De onde emergem os nervos”

Um dos exercícios que mais tenho praticado nos últimos tempos é o de tentar me manter no agora. Observar meu corpo e seu tônus foi um dos caminhos que venho experimentando através da Eutonia, da dança, do Yoga.

“De onde emergem os nervos” já existia há algum tempo enquanto projeto, mas tomou corpo imagético apenas este ano. Me interessa a anatomia viva e os sentidos como extensão dos olhos. Sou fisgada pelos maravilhosos desenhos dos primeiros anatomistas e pela beleza das descobertas daquela época.

Compartilhar meus primeiros resultados nesta exposição é um grande presente pra mim, quando espero aproveitar intensamente a visita de cada um de vocês. Estão todos convidados!!


Fotossensível

Fotografia Amiga é uma das atividades de mentoria do projeto Fotossensível.

É lugar para aqueles que procuram uma atenção concentrada em seu trabalho
autoral. Para aqueles que desenvolvem seus projetos e que desejam dividir suas
questões e angústias. Um lugar para dividir suas vontades e fortalecer
ideias. Tem o desejo de empoderar o participante, facilitando o fluxo de
discussão, de maneira horizontal, criando um ambiente de confiança como
é o da amizade.

Foto: Monique Prado

1
Using Format